Sejam bem vindos ao site sobre a Bíblia do ponto de vista místico e esotérico

Informações a respeito de cabala cristã, martinismo, arqueologia bíblica, interpretações, textos místicos e assuntos relacionados



sábado, 19 de abril de 2014

O nome de Jesus, o que foi dito na cruz, a câmara nupcial, Madalena e o Evangelho de Felipe


O nome de Jesus, o que foi dito na cruz, a câmara nupcial, Madalena e o Evangelho de Felipe






No fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro”. (Mat. 28:1)


Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? (Mat. 27:46 – Versão Católica)

 

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Versão João Ferreira de Almeida)



Deus meu! Deus meu! Por que Senhor, tanto me glorificas? (Evangelho de Felipe)



Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; pois vos desposei com um só Esposo, Cristo, para vos apresentar a ele como virgem pura”. (II Cor 11:2)

 

E eu vos digo que não me vereis até que venha o tempo em que digais: Bendito aquele que vem em nome do Senhor.” (Luc. 13:35)






Vemos muitas vezes a referência ao nome de Jesus, e assim percebemos que esse nome é muito poderoso, e que segue um mistério a que sempre cristãos estiveram envolvidos. Seja para operar curas, seja para reforçar orações, seja par expulsar espíritos impuros, e assim por diante. Eu já tratei desse nome quando falei no aspecto cabalístico do mesmo, quando Martinistas o trataram, sendo o nome do Senhor Deus IHVH com o acréscimo da letra shin em seu centro (IHShVH). Aqui há a prova de que estamos diante de Deus. Como ensina o Evangelho de Felipe, “Jesus é um nome secreto, Cristo é um nome público” e “Cristo encerra tudo em si mesmo – seja homem, seja anjo, seja mistério - , incluindo o Pai”. Deste modo, há no nome dele a origem das coisas, pelo Verbo e também a sua salvação, naquele que é o Reparador e o Novo Adão.

 

Sobre o que foi dito na crucifixão, vemos que varia é a interpretação e o que importa é a entrega ao Pai, e o mistério da ressurreição. Possivelmente tenha dito bem mais e não tenhamos todo esse fato relatado. Mesmo que a Maria mãe tenha acompanhado, e até mesmo a Madalena tenha ainda apoiado, vale lembrar que também ressuscitamos em nossos corações, ao conhecer Cristo. Nos tornamos o Novo Homem, aquele que está reintegrado ao céu. Retornamos a casa do Pai. Para tanto, se Madalena foi companheira ou esposa de Jesus, fato é que isso apenas complementaria o sacramento do casamento. No Evangelho de Felipe disse que “Madalena era sua companheira”, e que Jesus amava ela mais que a todos. Tal afirmação apenas entraria de encontro com grupos de monges e celibatários, o que pode ter afastado os evangelhos ditos gnósticos, como a referência que seguidamente é feita neles, como a “câmara nupcial”. Apesar que Cristo é o esposo, como ensina Paulo na segunda carta aos Coríntios. Ensina Felipe: “A câmara nupcial não é feita para as bestas nem para os escravos nem para as mulheres sem honra, e sim para os homens livres e para as virgens”.




Interessante é que em Felipe se fala de primeiro receber a ressurreição, para depois receber algo após a morte. E fala que Adão teria comido da árvore proibida animais, e assim se tornado animal. Ensinamentos esses ampliam muito o que sabemos das Escrituras, e até o Velho Tetamento nos aparece com outra face. Também percebemos aqueles ensinamentos referentes a Sofia, aos arcontes, ao Pleroma e outros, que são essenciais e que foram aos poucos maquiados pelo dogma e pela visão limitada dos textos. E Jesus ensina que há um “Filho do Homem” e um “filho do Filho do homem”, o que pode mostrar a importância dos cristãos e do seu poder. A sofia é a mãe dos anjos. Ensina ainda o mestre: “Bem-aventurado é aquele que é antes de chegar a existir, pois o que é, era e será”. Assim pensamos na eternidade e na pré-existência da alma, que nos coloca em sintonia com doutrinas místicas judaicas, onde a alma do bebê faz um juramento a Deus de seguir seus mandamentos. Há ainda ensinamentos ocultos, como a respeito dos espíritos impuros e de sua busca em perverter as pessoas, não tendo estes poder em relação a casais. E ensina “Ou se está nesse mundo, ou na ressurreição, ou em locais intermediários”. Pensamos assim no inferno e purgatório, que se destinam aqueles que esperam ou até a pecadores, e que muitas vezes não é levado em conta. Cristo vem para restaurar tudo isso, e elevar a humanidade até a luz e ao encontro do Pai.








2 comentários:

  1. UM MITO construído por homens, assim como o tal do Alá, do Buda, o Macaco Hanumann, o Monstro do Espaguete Voador e mais 4000 deuses e messias salvadores do mundo e da humanidade. ndsimas@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. UMA FONTE DE CONHECIMENTO. AMEI A LEITURA.

    ResponderExcluir