Sejam bem vindos ao site sobre a Bíblia do ponto de vista místico e esotérico

Informações a respeito de cabala cristã, martinismo, arqueologia bíblica, interpretações, textos místicos e assuntos relacionados



domingo, 27 de novembro de 2016

A Bíblia Peshita contendo mais livros que outras bíblias


A Bíblia Peshita contendo mais livros que outras bíblias







A Bíblia Peshita vem para compensar a lacuna da ausência que temos de bíblias usadas em igrejas ortodoxas, e de um material com o Nome original da divindade, bem como contendo alguns apócrifos e livre de adulterações feitas pelas igrejas. Apesar de que se atribui a essa Bíblia, uma influência da versão grega da Septuaginta, e da versão aramaica do Targum, mas mesmo assim é mais fiel do que os materiais que possuíamos anteriormente. Peshita significa versão simples. Na verdade após observar uma série de traduções e mesmo nas Bíblias de estudo, que havia certa influência em traduções de igrejas, percebi que deveria buscar um material mais original. Isso se deu já em artigos onde comentei a Bíblia Ortodoxa da Etiópia, o Codex Sinaiticus e mesmo o Targum em aramaico. Logo, após grande busca em meu site sobre uma Bíblia de igreja ortodoxa, achei que a mais próxima e usada seria essa Peshita, pois contém alguns apócrifos e ainda volta a nomes originais e retira adulterações que ocorreram, por exemplo, na Vulgata, e depois em tantas outras bíblias.



Então, entre os livros a mais descritos nessa Peshita, além de detalhes, estão:

  • Ela contém todos os nomes da BÍBLIA, no original.
  • Palavras e termos em hebraico.
  • Nome do Senhor Yeshua (pronuncia yerrua).
  • Traz o Nome Sagrado do Eterno.
  • Correção de muitos versículos que ainda eram semelhantes ao grego, os aproximado das fontes semitas.
  • Livros inclusos: de(Enoque), (Thomé), (Maria Madalena), (André), Melquizedeque  
  • Capítulos e versículos omitidos pelas igrejas foram finalmente restaurados.
  • Milhares de adulterações já corrigidas (-52000 alterações da Vulgata e Septuaginta).
  • A ordem dos manuscritos originais, visto que a Mensagem primeiramente foi dada aos Judeus e, posteriormente, aos Gentios. Kefa,(Pedro), Ya’akov(Tiago), Yochanan eram emissários antes de Paulo (Shaul) (Gal 1:17). Pois teria sido invertida a ordem.



E mais coisas ainda. Existem então versões apenas da Torá, os 5 primeiros livros, e versões com primeira e segunda aliança, ou o Novo Testamento. De curioso são os livros apócrifos que a ampliam, em diferença a todas as outras bíblias. O de Maria, Enoc, Melquisedec e o filosófico Tomé, são importantíssimos. O mais extenso é o de Melquisedec, que trata de Sodoma/Gomorra, queda de anjos, Criação e outros temas. O livro de Enoc se assemelha a Melquisedec, tratando ainda dos Gigantes. Já o Tomé acrescenta um estilo e também foi encontrado e comprovado por arqueologia, noutras fontes. O polêmico e pequeno livro de Maria Madalena mostra o papel importante de mulheres junto ao Salvador Yeshua, e assim é indispensável. Superando a dicotomia que havia antes entre o que era tratado de revela ou não, essa Bíblia supera o que antes se defendia como tal. E volta-se ao original, hebraico e aramaico das Escrituras.
 
 



Lembrando que a Peshitta, levemente revisada e com os livros faltantes adicionados, é a Bíblia padrão em siríaco para as igrejas na tradição litúrgica siríaca:  a Igreja Ortodoxa Indiana, a Igreja Ortodoxa Síria, a Igreja Católica Siro-Malancar, a Igreja Síria Mar Thoma, a Igreja Católica Siríaca, a Igreja Assíria do Oriente, a Igreja Católica Caldeia e a Igreja Maronita. Então, para aqueles que procuravam em português uma versão da Bíblia de igreja ortodoxa, encontram agora disponível em versões e edições acessíveis e em preço equiparado a demais bíblias.

2 comentários:

  1. Os livros de Tomé e Maria Madalena são falsos porque são de origem gnóstica não cristã. Os autores não tiveram o mínimo cuidado para consultar as testemunhas oculares de Jesus para contar a história dele como de fato ocorreu. Pelo contrário, os evangelhos gnósticos são completamente fictícios e só foram escritos com intuito de misturar o cristianismo com o gnosticismo. Além disso, todos esses quatro livros são pseudo-epígrafos. O que põe em xeque a canonicidade deles. Essas supostas 52000 diferenças que vc chama de adulterações na verdade são discrepâncias pequenas que não alteram em nada no sentido do texto. Por exemplo, nos manuscritos mais antigos algumas vezes Paulo escreveu "Senhor Jesus Cristo" mas nas atuais bíblias aparece "Senhor Jesus". E isso já conta como adulteração para os acadêmicos céticos mas na verdade isso não altera absolutamente nada no sentido do texto. Essa tese cética de que o Novo Testamento foi adulterado está tão desacreditada pelos acadêmicos sérios que já foi abandonada a muito tempo. Só encontramos essas teorias em sites sensacionalistas de pessoas revotadas com a Igreja.

    ResponderExcluir
  2. A PALAVRA VERDADEIRA DE DEUS É SEU PRÓPRIO FILHO JESUS CRISTO QUE DIZ : EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA NINGUÉM VEM AO PAI SENÃO POR MIM [JOÃO 14:6]

    ResponderExcluir